A Yoki preparou para você um livro que conta as origens das Festas Juninas e traz um material muito rico para você preparar sua festa e até ajudar seu filho nas pesquisas escolares.

Clique nos itens abaixo para ver o conteúdo dos capítulos ou, se desejar, faça o download do livro completo!

Baixar o livro

A Origem das Festas Juninas

A Origem das Festas Juninas

Conheça a origem da Festa Junina e descubra sua história.

É tempo de colocar o chapéu de palha e dançar quadrilha ao som de “São João, São João, acende a fogueira no meu coração”! A Festa Junina é uma das maiores tradições culturais do Brasil. Por isso, começamos este livro com suas origens.

Existem duas explicações para o nome “Festa Junina”. Uma das histórias conta que a festa surgiu há muito tempo atrás durante o Solstício de verão da Europa, que acontecia no mês de junho.

A outra história conta que os países católicos da Europa trouxeram a festa para o Brasil durante a colonização. A Festa Junina era feita em homenagem a três santos: Santo Antônio, São João e São Pedro. A quadrilha é uma dança que surgiu como forma de agradecimento a esses santos pela época de colheita do milho e do amendoim, que acontece no mês de Junho. Hoje os seus dias são comemorados nos dias 13, 24 e 29 de Junho, respectivamente. São festas muito alegres e divertidas, repletas de música, comidas e bebidas típicas, uma fogueira que aquece e une as pessoas e muita música regional como forró e sertanejo.

As comemorações pelo Brasil

As comemorações pelo Brasil

No Brasil existe um tipo de Festa Junina para cada região.

Norte:
No Norte, as quadrilhas das Festas Juninas são alegres e animadas ao som de danças típicas e lendas da Amazônia como a do Boto e a do Boi-Bumbá. O momento mais especial é a disputa folclórica entre os grupos Boi Garantido e Boi Caprichoso no Bumbódromo de Parintins, um espaço parecido com um estádio e com um formato de cabeça de boi. As festas no Norte e Nordeste ajudam a manter a economia das regiões e são consideradas as melhores Festas Juninas do mundo.

Nordeste:
No Nordeste, o som que anima o arraial é o forró, principalmente em Caruaru, capital desse ritmo brasileiro. A quadrilha também está presente e as pessoas acendem fogueiras em frente às casas e fazem parte dos grupos de festeiros que andam pelas ruas da cidade. Os nordestinos aproveitam para agradecer a chuva, que costuma ser rara nessa região e servem para ajudar a manter a boa agricultura. As cidades de Caruaru e Campina Grande disputam o título de "Maior São João do Mundo".

Centro Oeste:
No Centro Oeste a festa possui influência do Paraguai, que faz fronteira com a região. Por esse motivo, uma das danças presentes na festa além da quadrilha, é a Polca.

Sul:
No Sul as famílias gaúchas se reúnem em volta da mesa de jantar para saborear pratos típicos. Na Festa Junina não podem faltar a quadrilha e a fogueira para esquentar o tempo frio.

Sudeste:
No Sudeste a música varia entre sertanejo e forró para animar a dança. As quadrilhas são ensaiadas e ocorrem encenações engraçadas como o casamento caipira. Algumas são feitas em igrejas para arrecadar comida para institutos sociais, outras em espaços abertos como campos ou locais próprios para o evento e é muito comum que aconteçam em escolas para a diversão dos pais e alunos, que participam da festa.

Danças Juninas

Danças Juninas

As danças Juninas e o casamento caipira, são os momentos mais esperados da festa.

A dança mais tradicional da festa não pode ficar de fora. A Quadrilha surgiu nos salões da corte de Paris (Quadrille), veio para o Brasil após a colonização e o povo brasileiro deu sua própria identidade a essa dança. O tipo mais comum é a caipira, mas também é dançada de maneira muito própria em algumas regiões como o Norte e Nordeste. A quadrilha caipira passa por várias fases engraçadas até chegar ao casamento.

As roupas usadas nas danças são muito tradicionais. As mulheres usam vestidos floridos com babados, botas, chapéu de palha e tranças nos cabelos. Já os homens, usam camisa xadrez, calça jeans com retalhos costurados, botas e chapéu de palha. São estas as roupas mais comuns usadas em Festas Juninas, inspiradas no estilo rural de quem vive no campo, mas claro, elas podem variar de acordo com a região do Brasil.

Aprenda como fazer os trajes juninos

O casamento caipira
O casamento dos noivos caipiras é um dos momentos mais esperados da festa e tem direito a padre, delegado e padrinhos presentes. O momento é cheio de humor e faz uma brincadeira com os casamentos tradicionais. O noivo é praticamente obrigado a casar por pressão do pai da noiva e apesar de algumas tentativas, não consegue escapar do matrimônio.

Além da Quadrilha caipira, existem outros tipos de danças juninas em diferentes regiões do Brasil. São elas:

Fandango
Dançada no Sul, o Fandango é um baile com várias danças regionais e se divide em três grupos. O primeiro é o Batidos, que se caracteriza por fortes sapateados apenas entre os homens. O segundo é o Valsados, que é uma dança lenta com pares fixos e o terceiro é o Mistos, onde as valsas são intercaladas entre batidos.

Bumba-Meu-Boi
Essa dança típica do folclore brasileiro está presente especialmente no Norte e Nordeste e conta a história de uma mulher grávida que sente vontade de comer língua de boi. Seu marido mata o animal para satisfazer sua vontade, o dono do boi descobre e fica muito zangado quando vê o animal morto. Então, surge um curandeiro que consegue ressuscitá-lo e todos se alegram e começam a se animar.

Cateretê
Dança rural do Sul do País que chegou com os jesuítas, é dançada com tamancos de madeira, sem calçados ou com esporas nos sapatos, dependendo da região brasileira. Os dançarinos batem os pés e as mãos acompanhando as melodias cantadas pelos violeiros.

Lundu
O Lundu é uma dança de origem africana que foi trazida pelos escravos de Angola e está mais presente no Norte, Nordeste e Sudeste. Na dança, os casais formam pares soltos e as mulheres dançam para encantar os homens, depois os casais trocam de par e continuam com a mesma dinâmica.

Link to content

Quermesse

Quermesse

A Quermesse é uma festa com um propósito mais que especial.

As Quermesses estão relacionadas às Festas Juninas, são feiras católicas de caridade, organizadas por igrejas, onde existem brincadeiras para crianças, comidas típicas, sorteios e jogos com prêmios. Todos com o intuito de contribuir com doações para projetos sociais.

A decoração é feita tradicionalmente com xita, palha, toalhas xadrez, bandeirinhas e fitas, tudo para deixar a festa com clima junino. Uma mistura de tradições e costumes, as bandeirinhas representam as antigas bandeiras dos Santos homenageados em Junho e a decoração típica imita o clima caipira e rural do interior.

Veja como decorar sua Festa Junina

Jogos juninos

Jogos juninos

Conheça os jogos juninos: a hora de brincar, se divertir e ganhar brindes.

Uma das fases mais divertidas da festa é a hora da brincadeira. Além dos jogos tradicionais como Pescaria e toca do coelho, existem os jogos de terreiro como: a corrida de sacos, o ovo na colher, entre outros. Chegou a hora de se divertir com a família e os amigos!

Acertar o Alvo
Cada jogador recebe três bolinhas e, de certa distância, procura jogá-las dentro da boca de um grande caipira, desenhado em cartolina. Em algumas regiões, um palhaço substitui o caipira no cartaz.

Jogo de Argolas
Colocam-se várias garrafas estrategicamente no centro de uma barraca. Cada jogador recebe determinado número de argolas e tenta encaixá-las nas garrafas.

Pescaria
Em um tanque de areia, colocam-se peixinhos feitos de lata ou papelão. Cada um tem na boca uma argolinha, que deverá ser enganchada pelo anzol do pescador ou jogador. Cada peixinho tem um número que corresponde a uma prenda.

Tiro ao alvo
Coloca-se um alvo a certa distância; o jogador deverá acertá-lo utilizando dardos ou armas de brinquedo.

Pau-de-sebo
O pau-de-sebo é um mastro de madeira envernizada com aproximadamente 5 metros de altura que é solidamente plantado no chão e muitas vezes recebe, no topo, um triângulo de madeira ao qual se amarra dinheiro.

A brincadeira consiste em, abraçado ao pau-de-sebo, tentar subir e alcançar o prêmio. Como o mastro foi revestido com cera, dificilmente os que participam da brincadeira conseguem subir até seu topo, escorregam até perto do chão e voltam a insistir várias vezes, até desistir ou atingir o alvo.

Catar Amendoim
Cada criança deve apanhar com uma colher, os amendoins colocados à sua frente a uma certa distância e levá-los para seu lugar junto à linha de partida, um de cada vez. Vence quem reunir cinco grãos primeiro.

Corrida de funis
Introduzir dois funis em uma corda, com a parte mais estreita voltada para um laço feito no centro. Os jogadores terão que, apenas soprando, levar os funis até o laço.

Corrida do saci
Riscar no chão duas linhas paralelas, sendo uma a de chegada. Ao sinal combinado, as crianças saem pulando em um pé só, em direção à linha de chegada.

Corrida dos sacos
Semelhante à corrida do Saci, cada jogador faz o percurso com o corpo enfiado em um saco bem preso à cintura.

Corrida de três pés
Cada jogador amarra sua perna esquerda à perna direita do parceiro e os dois pulam até a linha de chegada.

Pesca da maçã
Cada competidor tem à sua frente um balde grande, cheio de água com uma maçã boiando. Suas mãos devem ficar para trás e ao aviso do juiz, deve tentar pegar a maçã com a boca. O primeiro que tirar a maçã da água e colocar na mão do juiz é o vencedor.

Ovo na colher
Cada competidor deve equilibrar, segurando com a boca, uma colher com um ovo em cima. Todos partem em direção à linha de chegada a partir do apito do juiz. Os que derrubarem o ovo no caminho são desclassificados. Ganha quem alcançar primeiro a linha de chegada com o ovo na colher.

Carrinho de mão
Essa brincadeira é feita em duplas: um competidor é o carrinho e o outro é o motorista (que segura as pernas do "carrinho" e este fará a corrida com as mãos). As duplas ficam alinhadas até o sinal do juiz e vencem aqueles que alcançarem primeiro a linha de chegada.

Veja mais jogos para animar sua festa

Comidas e bebidas típicas

Comidas e bebidas típicas

As tradicionais comidas e bebidas típicas que não podem faltar na Festa Junina.

Quando a Festa Junina surgiu, as comidas eram a base de milho e amendoim para celebrar as colheitas da epoca em Junho. Com o tempo, os pratos foram se adaptando e ficando cada vez mais saborosos.

Norte
Os pratos típicos são: vatapá, bolo de macaxeira, tapioca, tacacá, churrasco e doces com frutas tropicais.

Nordeste
Os banquetes têm receitas com milho, canjica, arroz doce, cuscuz e pé de moleque.

Centro Oeste
As comidas típicas são: A sopa paraguaia (uma espécie de bolo de queijo), o caldo de feijão, a farofa de banana, entre outros.

Sul
As festas do Sul são repletas de doces de amendoim, pinhão, quentão, vinho quente e claro, acompanhados de um tradicional Chimarrão.

Sudeste
No Sudeste existe uma mistura de pratos da própria região e de outras. Nas festas você encontra: Milho, pamonha, paçoca, quentão, vinho quente, pipoca, cachorro-quente, pastel, maçã do amor e até frutas com chocolate.

Aprenda a fazer receitas deliciosas

Simpatias e Santos

As simpatias e os pedidos especiais para ter sorte no amor, saúde e prosperidade.

Os três santos que se tornaram símbolos das Festas Juninas são: São João, Santo Antônio e São Pedro. Nas festas, são realizadas simpatias e pedidos específicos para cada desejo. Conheça a história de cada um deles.

Santo Antônio
Este é um dos santos mais conhecidos do Brasil por realizar milagres e por ser casamenteiro. Além disso, é o santo familiar, protetor de estabelecimentos comerciais e o padroeiro dos soldados. No dia 13 de junho é comemorado seu dia e as pessoas que estão solteiras ou ainda não encontraram o amor, podem fazer simpatias para ter sorte e encontrar a pessoa dos seus sonhos:

  • Encha um copo americano novo com água, adicione três pitadas de sal e um botão de rosa vermelha. Deixe a flor lá até que murche. Tome um banho com essa água, repetindo treze vezes a seguinte frase: "Santo Antônio, Santo Antônio, mande um Antônio para mim."
  • Você deve pegar uma imagem de Santo Antônio e tirar o menino Jesus do colo dele. Vire o santo para a parede e diga que irá desvirá-lo e devolver o menino quando se casar com a pessoa amada.
  • Escreva o nome da pessoa num papel. Mergulhe-o no mel e leve-o para perto de uma árvore junto a uma imagem do santo. Enterre os dois e peça para ele ajudar você. Diga que só vai desenterrá-lo quando seu desejo se concretizar.

São João
A Festa Junina é feita principalmente em homenagem a São João no dia 24 de junho. A fogueira das festas é chamada de “Fogueira de São João” como diz a música, porque diz a lenda que foi acesa no dia do nascimento deste santo e ao mesmo tempo é usada para espantar os maus espíritos. Aprenda a fazer simpatias e pedidos para ele:

  • No dia 23 de junho, misture em uma bacia com água: cravos, folhas de alecrim e manjericão. Deixe descansar e na manhã seguinte tome um banho e jogue a mistura no corpo, apenas do pescoço para baixo, para renovar as energias e espantar o mau olhado.
  • Quem está em dúvida entre dois amores pode aproveitar a noite de São João para se decidir. O truque é escrever o nome dos pretendentes em um pedaço de papel e jogar em uma bacia com água. O primeiro papel que desenrolar é o escolhido.
  • Na noite de São João, escreva o nome de quatro pretendentes em cada ponta do lençol e dê um nó em cada uma delas. De manhã, o nó que estiver desmanchado tem o nome da pessoa com quem você vai se casar.

São Pedro
São Pedro foi o apóstolo encarregado de fundar a Igreja Católica e foi o primeiro padre da mesma. Ele é festejado no dia 29 de junho e foi nomeado o chaveiro do céu, ou seja, o santo que abre as portas para quem entra e sai do paraíso.

Muitos também acreditam que quando chove, São Pedro está bravo. Aprenda a fazer simpatias e pedidos para ele.

  • Coloque uma chave nova debaixo do seu travesseiro no Dia de São Pedro. Embrulhe-a em um papel branco com três pedidos e descreva como você desejaria que fosse sua nova casa. Deite-se e mentalize que São Pedro e seus anjos estarão durante a noite procurando a casa dos seus sonhos.
  • No Dia de São Pedro, coloque dentro de um copo com água a chave da porta de entrada da sua casa e diga: "São Pedro, proteja minha casa, assim como protege de intrusos o céu; afaste todo e qualquer mal da minha casa e com a ajuda do anjo guardião, não deixe entrar nenhum ladrão".
  • No dia dedicado a São Pedro, ao meio-dia em ponto ou às 18hs, vá para um lugar em que fique sozinho, levante os braços e eleve seus pensamentos aos céus, pedindo que "consiga ir e voltar de suas viagens com saúde e livre de acidentes e de morte súbita. Que Jesus e o Divino Espírito Santo também estejam no volante com você, assim como o Senhor, meu São Pedro amigo".

História das Bandeirinhas e Fogueira

História das Bandeirinhas e Fogueira

O calor que aquece a festa e a história das bandeirinhas.

A fogueira é um símbolo que representa o nascimento de São João e também acredita-se que ela seja uma proteção contra os maus espíritos. Ela une as pessoas da festa ao seu redor por causa do tempo frio, que sempre está presente durante o mês de Junho.

As bandeirinhas surgiram como três grandes bandeiras com as imagens dos três santos da Festa junina. Ao longo do tempo, foram substituídas pelas famosas bandeirinhas que conhecemos.

Festas Juninas nos dias de hoje

Festas Juninas nos dias de hoje

none

As Festas juninas hoje são uma das maiores comemorações brasileiras e se adaptaram ao longo de anos de história e influências de uma grande mistura de culturas. É a festa que tem a cara do país, mas não perdeu sua essência. As brincadeiras como a pescaria, a quadrilha, os jogos e músicas como o forró, as comidas e bebidas típicas como o milho, o amendoim, a paçoca e o pé de moleque, o casamento caipira e o momento especial do correio elegante, são tradições que continuam fortes e presentes nas melhores Festas Juninas de todo o Brasil.

Falando em Correio Elegante, não se esqueça que o jeito mais especial de enviar uma mensagem no estilo Junino para quem você ama, é com a nossa Paçoca Elegante.